Esporte Escolar
O seu portal de notícias do Esporte Escolar

Grandes eventos x desporto educacional

09/01/2017
Grandes eventos x desporto educacional

Nos últimos quatro anos, o Brasil hospedou os dois maiores eventos esportivos do planeta. Em 2014, foi a Copa do Mundo. Em 2016, as Olimpíadas. Quem viu de fora, poderia pensar que o País investiu pesado no esporte. Apesar da humilhação do 7 a 1 da Alemanha, poucos países podem se gabar de ter chegado a uma semifinal na Copa do Mundo, ainda mais com cinco títulos nas costas. Nas Olimpíadas, o Brasil ficou em 12º lugar no quadro de medalhas. Não é o primeiro, mas é invejável. A realidade é outra. O Brasil sofre para formar novos atletas, já que os recursos para o esporte escolar, educação física e formação esportiva são parcos.

Mudança de alvo
De acordo com uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), R$ 7,7 bilhões foram destinados ao desporto de rendimento entre 2010 e 2014. Em comparação, R$ 500 milhões se dirigiram ao desporto educacional. Um grupo de sete deputados apresentou um projeto de lei mudando a destinação dos 2,7% da arrecadação com os chamados "concursos de prognósticos", como loterias ou qualquer fezinha e jogo que depende da sorte, que vão para o esporte.
Os deputados César Halum (PRB-TO), Evandro Roman (PSD-PR), Andres Sanchez (PT-SP), Arnaldo Jordy (PPS-PA), Roberto Goés (PDT-AP), José Rocha (PR-BA), Flávia Moraes (PDT-GO) e João Derly (Rede-RS, foto) querem modificar a Lei Pelé e destinar 44,07% ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), 25,93% ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), 20% à Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE) e 10% à Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU).

Prioridade desrespeitada
Segundo os parlamentares, a Constituição estabelece quatro princípios para o esporte no Brasil: a autonomia das entidades desportivas dirigentes e associações, quanto à sua organização e funcionamento; o tratamento diferenciado para o desporto profissional e o não profissional; e a proteção e o incentivo às manifestações desportivas de criação nacional. "O legislador constituinte também estabeleceu como princípio a destinação de recursos públicos para a promoção prioritária do desporto educacional e, em casos específicos, do desporto de alto rendimento. No entanto, essa prioridade vem sendo flagrantemente desrespeitada e, hoje, a realidade é oposta ao que determina a Constituição", justificaram.

Assimetria sem explicação
Os deputados reconhecem que parte da assimetria vista nos últimos anos pode ter uma explicação nos grandes eventos como a Copa e a Olimpíada. Mas a diferença de valores, para eles, é inexplicável. "Mesmo nesse contexto, que exigiu enorme esforço financeiro do País para sediar tais eventos, não se justifica tamanha desproporcionalidade de valores, em detrimento do desporto educacional, ao qual é oferecida prioridade constitucional." A proposta ainda deverá passar por quatro comissões na Câmara, mas poderá ser aprovada sem passar pelo plenário.

Texto extraido da coluna do jornalista Edgar Lisboa, disponível em Jornal do Comércio

Veja também
 
 

Jeesp

Jeesp: Etapa IV - Atletismo Finais Mirim - Jeesp   Praia Grande
Campione - Il mondo dello sport